Segunda-feira
03 de Agosto de 2020 - 
Experiência, Comprometimento, Justiça e Seguranca.

Participante do programa Jovem Aprendiz conquista o primeiro emprego

O sorriso é tímido, as palavras são raras, mas o olhar não esconde: Jorge Otaviano, de 18 anos, está confiante. Feliz, o ex-integrante do programa 'Jovem Aprendiz', do Tribunal de Justiça do Rio, foi efetivado em seu primeiro emprego. Jorge, agora, é o mais novo funcionário da Farmácia Nossa Drogaria. - Antigamente eu ficava em casa, vendo televisão. Não entendia nada de informática. Quando entrei na empresa, pelo programa 'Jovem Aprendiz' passei a ter responsabilidades. Fui aprendendo cada vez mais, inclusive a mexer no computador. Hoje, penso em crescer no meu emprego. O programa salva a vida do jovem. Ajuda a gente a crescer na vida - reconhece. Com a carteira devidamente assinada, Jorge poderá, agora, dar melhor suporte e conforto à família, incluindo a filha, de apenas cinco meses de idade. Assim como ele, diversos jovens e adolescentes em cumprimento de medidas socioeducativas ou em situação de acolhimento institucional esperam oportunidades de inserção no mercado de trabalho. Nesse sentido, o Tribunal de Justiça do Rio, decidiu fomentar o Jovem Aprendiz. Desde maio do ano passado, 60 jovens já foram beneficiados pelo projeto. Atualmente, 36 estão trabalhando como jovens aprendizes nas empresas parceiras do programa. - A profissionalização é uma ferramenta muito importante para que eles possam sair da situação de vulnerabilidade social. Não observamos reincidência dos jovens que participaram do programa. E o que percebemos é que há vantagens não somente para eles, mas também para a própria empresa. Percebemos equipes motivadas, mais produtivas, aprendendo sobre diversidade e novas realidades sociais. As empresas são parte da solução; elas podem atuar como agente de transformação social na vida do jovem - destaca a juíza Vanessa Cavalieri, titular da Vara da Infância e da Juventude da Capital e integrante da Comissão de Articulação de Programas Sociais (Coaps) do TJRJ. No momento, 16 empresas atuam como parceiras do programa, entre farmácias, bancos e escritórios de advocacia.   Novos planos e sonhos A rotina de Carolina Batista, 20 anos, é cheia. Ela trabalha, como jovem aprendiz, e estuda à noite. Mas Carolina não reclama. Com o salário, ela ajuda a família, participando das despesas da casa. - Eu gosto de trabalhar no cartório, fui muito bem recebida pelos colegas de trabalho. Minha mãe está muito feliz e orgulhosa de mim, conta. July, de 18 anos, está terminando o Ensino Médio e já pensa na faculdade. Os planos estão se tornando realidade desde que ela foi contratada, como jovem aprendiz, pela empresa Casa e Vídeo. - Tudo o que sei, aprendi lá. E aprendo não só para o trabalho, mas também para a vida. Quando entrei na Casa e Vídeo, meu maior medo era o computador. Eu não tinha a menor intimidade com informática. Hoje eu trabalho com planilhas do excel. Também pesquiso pontos de loja, atendo telefonemas, envio correspondências. Cai a ficha que você tem uma responsabilidade de fato. Eu percebo a importância do meu trabalho. Se eu atrasar uma atividade, o meu setor todo ficará atrasado -  explica. A menina elenca as mudanças que aconteceram em sua vida. - Tenho carteira assinada, minha vida está na direção certa, estou conseguindo terminar meus estudos. Seria muito interessante se mais empresas aderissem ao projeto. Assim como eu, outros jovens precisam de oportunidades. MG/FS  
10/07/2020 (00:00)
Visitas no site:  996067
© 2020 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia